TEXTO – CONTRASTE

Sugestão, escutar essa música ao ler:  The xx – http://sernaiotto.com/Angles 

O sol nascia. O céu tinha um contraste de vários tons de azul que a noite trazia, mas o sol carregava consigo um laranja intenso que afastava a noite.

Era um amanhecer frio. Sempre gostei do frio, ele trazia sensações em nossos corpos que eu achava fascinante. O vento batia em meu rosto me fazendo arrepiar e isso me fazia sorrir, mas o calor do sol que nascia atingia o meu braço que se mantinha para fora do carro.

A música fazia tudo aquilo se transformar em poesia, me levando longe de qualquer problema, tristeza ou angustia. Tudo era perfeito. Sinto seu toque, me trazendo de volta para o mundo real. Sua mão quente em contraste á minha que era sempre fria nos fazia sorrir. Já estamos acostumados ao choque de temperatura, parecia sempre que quando as duas se encontrava saia faísca.

Seu sorriso me fazia me perder por alguns segundos, junto com a trilha sonora que o carro tocava fazia ser um amanhecer mais incrível do mudo. Com certeza seria um belo dia.

Pedi para você encostar o carro e pelo meu sorriso você entendeu meu plano. Sentamos no capô do carro e abraçados assistimos o incrível nascer do sol que acontecia em nossa frente. Sinto sua mão me puxar o meu rosto para mais perto e então senti seus lábios grossos encontrarem o meu. Nosso beijo sempre fluía bem, parecia que era o encaixe perfeito. Entre beijos e pausas para reocupar o folego, eu disse:

– Não quero ir embora.

Seus olhos claros me encara e então você disse em um tom firme:

– Então iremos ficar.

Então você sorriu novamente.

Algo me incomodava. Abri meus olhos e vi o sol nascendo entrando pela minha janela me fazendo despertar. Sentei na cama, confusa com o sonho e triste por ter acordado. O que eu mais desejava naquele começo de dia era que tudo aquilo um dia se tornasse real.

 Por Agnes Rieger

Deixe uma resposta